• O Google comprou uma Moto-encrenca

    Esqueça o discurso do Google sobre como a aquisição da Motorola vai ajudar a dar uma supercarga no Android. A compra será um baita problema para a companhia.

    De acordo com o posicionamento oficial, o principal motivo para a decisão foi o vasto portfólio de patentes ligadas à telefonia móvel da Motorola Mobility. Cada vez mais acuado por Apple e Microsoft, que acusam fabricantes do Android de ferir propriedade intelectual, o Google precisava se defender de alguma maneira. Os processos judiciais multiplicam-se e podem ser exigidas licenças de quem produz os celulares com o sistema operacional.

    Para Florian Muller, especialista em patentes e autor do blog FOSS Patents, o argumento não faz o menor sentido. Em um post publicado nesta segunda-feira (15), ele afirma que a Motorola já está em confronto litigioso contra a Apple e a Microsoft. Os processos ainda estão em andamento, mas, até o momento, a Motorola não foi capaz de superar as rivais no número de patentes que diz terem sido copiadas. Isso significa que, nos dois casos, há grande probabilidade de um futuro acordo judicial ser desfavorável para a Motorola.

    O que, então, o Google deseja? É bem provável que tenha decidido adquirir um fabricante de hardware para fornecer aparelhos com maior integração com o software. Seria uma maneira de copiar o modelo adotado pela Apple e, ao mesmo tempo, manter aberta a possibilidade para que outros fabricantes também produzam smartphones com Android. Só que a Samsung, a HTC e a LG não vão gostar nem um pouco disso.

    De parceiro, o Google tornou-se um concorrente delas. Embora diga que a operação da Motorola será independente, é lógico que haverá comunicação intensa entre os executivos. É natural. Ninguém compra uma empresa e depois a coloca dentro de uma bolha. Existirá um cuidado todo especial com telefones produzidos ali, para que a experiência seja a melhor possível. Afinal, agora o nome do Google estará associado aos produtos, e não vai adiantar nada dizer que são empresas diferentes. Samsung, HTC e LG ficaram em segundo plano.

    De uma hora para a outra, o Google jogou as três no colo da Microsoft. O Windows Phone 7.5 já estava no mapa delas, mas sem dúvida será analisado com mais carinho. A Nokia terá mais concorrência do que espera, o que é bom para Bill Gates. Como haverá mais variedade de aparelhos e mais marketing no sistema da Microsoft, isso poderá impulsionar o crescimento de uma terceira força no mundo dos smartphones. Ninguém quer virar refém de um concorrente.

    Os problemas não terminam aí. A Motorola quase faliu poucos anos atrás. Só conseguiu um pouco de tempo para respirar por causa do Android. Mesmo assim, as coisas não estão boas. Dentre os principais fabricantes de celulares com o sistema do Google, foi a única empresa cuja participação no mercado diminuiu no segundo trimestre do ano, segundo o Gartner. Sem contar que o Google não tem a menor experiência em produção em larga escala e em lidar com consumidores.

    Quem mais ganha com essa história toda é a própria Motorola. Não é de se espantar que eles tenham tentado dar uma pressionada para que a venda acontecesse. Nas últimas semanas, a companhia chegou a dizer que estava pronta para aderir ao Windows Phone e também ameaçou processar os outros fabricantes de Android, por violação de patente. Coisa fina.


  • O Google comprou uma Moto-encrenca


  • HTC e Samsung podem se rebelar contra Google

    Seul / Taipe – Os fabricantes asiáticos de celulares que usam o sistema operacional Google Android podem se voltar a plataformas rivais como o Windows, da Microsoft, agora que o Google alterou radicalmente o cenário na telefonia móvel ao comprar a Motorola Mobility por 12,5 bilhões de dólares.
    A HTC, de Taiwan, e a Samsung Electronics, da Coreia do Sul, venderam milhões de aparelhos equipados com o sistema operacional aberto Android, o que colocou o Google na liderança do florescente mercado de software para dispositivos móveis.
    Mas a aquisição da Motorola pode transformar o Google de parceiro em concorrente para as mais de 30 empresas que utilizam o Android em seus aparelhos.
    “O acordo fará com que a maioria dos usuários do Android perceba o quanto depende do Google e com que rapidez os planos do Google podem mudar seus negócios”, disse Francisco Jeronimo, analista do grupo de pesquisa IDC.
    Wall Street rapidamente apontou a Microsoft como uma das beneficiárias da transação, dado o potencial de que o Windows se beneficie caso a aquisição aliene os outros fabricantes de celulares que dependem do Android.
    O Android detinha 43,4 por cento do mercado de celulares inteligentes no segundo trimestre, à frente dos 22 por cento da Nokia, de acordo com dados do grupo de pesquisa Gartner. A Apple vinha em terceiro lugar com 18 por cento.
    As ações dos fornecedores asiáticos da Motorola dispararam com a notícia.
    A Foxconn International Holdings, maior fabricante terceirzada de celulares no planeta, que tem a Motorola como cliente, exibiu alta de até 17 por cento, ante a perspectiva de novos negócios gerados pela aquisição.
    As ações da Compal Communications e Arima Communications estiveram entre as diversas fornecedoras da Microsoft que atingiram o limite diário de sete por cento de alta ou baixa da bolsa de Taiwan.
    “Todo mundo está apostando que a Motorola reverterá sua situação. A Motorola receberá mais ajuda do Google para promover seus aparelhos Android, depois da aquisição”, disse Bonnie Chang, analista da Yuanta Securities, em Taiwan.
    “Companhias de produção terceirizada como a Foxconn International e a Compal Communications serão as mais beneficiadas em termos diretos.”
    Alguns corretores afirmaram que a compra da Motorola pode ser uma forma do Google oferecer assistência aos fabricantes que usam o Android.
    “Suspeitamos que o Google agora vá tentar oferecer um guarda-chuva à comunidade Android, com proteção de propriedade intelectual contra rivais importantes como a Apple e Microsoft. É mais ou menos assim que a Microsoft protege o Windows Phone”, afirmou a Nomura em nota de pesquisa.
    “Não acreditamos que o Google planeje continuar produzindo celulares em longo prazo, mas sim que pretenda transferir o negócio a um de seus parceiros no Android, como a Huawei, LG e ZTE, por exemplo”, acrescentou a corretora.
    Em termos mundiais, a HTC havia ganho vantagem por ser a primeira empresa a lançar um celular Android, e isso a deixa mais exposta a qualquer mudança no cenário.
    Quase todos os seus aparelhos operam com o Android, mas a empresa tem uma parceria estratégica de longo prazo com a Microsoft.
    A HTC havia anunciado em maio que planejava lançar novos celulares com a nova versão do Windows Phone, desenvolvida sob o codinome “Mango”. Na terça-feira, porém, a companhia disse que a aquisição da Motorola não afetaria sua parceria com o Google.
    “É um desdobramento positivo para o ecossistema Android, e o vemos como benéfico para a promoção de celulares Android pela HTC”, afirmou a empresa em comunicado. “A parceria entre a HTC e o Google continua forte e não será afetada pela transação.”
    Algumas das empresas chinesas de rápido crescimento, tais como a Huawei Technologies e ZTE também apostam no Android.
    A Huawei, conhecida por seus celulares baratos, quer reproduzir no mercado de celulares inteligentes o sucesso que conquistou no segmento de equipamentos para telecomunicação, encarando rivais como Nokia, Apple e Samsung.
    A Samsung conquistou o segundo posto entre os fabricantes mundiais de celulares inteligentes no segundo trimestre, com 19,2 por cento do mercado. A HTC vinha em quinto lugar, com 12,1 por cento, de acordo com a Strategy Analytics. A Apple lidera nas vendas de celulares inteligentes.


  • Office 2010 SP1 Official Download Links

    Microsoft has officially released the first service pack (SP1) forOffice 2010 productivity suite. The Office 2010 SP1 includes the roll-up of all previously released updates, in addition to several new updates which improve security, performance, and stability.

    Here’s the official download pages and direct download links for Office 2010 SP1. The SP1 will be available through Windows Update and Microsoft Update, automatically for people with Automatic Updates turned on, although the update will be at later date.

    The Office 2010 SP1 is released as KB2460049.

    32-bit (x86) Office 2010 SP1
    Microsoft Download Center: http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?FamilyID=9d2e1282-8b69-418b-afa0-9f61239ec8be
    Direct Download Link (US English): http://download.microsoft.com/download/4/0/A/40AA58F5-7CC5-4E74-AB51-5D51C7ED5283/officesuite2010sp1-kb2460049-x86-fullfile-en-us.exe

    64-bit (x64) Office 2010 SP1
    Microsoft Download Center (US English): http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?FamilyID=e9f3c2d0-c321-4910-a4ce-b2f294b42d65
    Direct Download Link: http://download.microsoft.com/download/1/A/8/1A879A5A-EE48-49E7-8831-449A71582173/officesuite2010sp1-kb2460049-x64-fullfile-en-us.exe

    Note that you have to download the correct version of 32-bit or 64-bit that matches the installed Office 2010 product, and not Windows operating system. For compatibility, Microsoft has recommended most users to install 32-bit version of Office 2010 even though they have 64-bit Windows 7 or Vista.

    To check if you have x86 or x64 version of Office 2010, just run any Office application such as Excel, Word, PowerPoint, Outlook and etc, and go to File menu to select Help. The 32-bit or 64-bit version of the Office product will be listed under the About section. Nonetheless, the Office 2010 SP1 setup installer is smart enough to detect the version of the installed Office applications and prevent installation from proceeding if the version is incorrect.


  • How to replace Explorer.exe in Windows 7?

    Change registry path to explorer.exe

    The easiest method to replace explorer.exe is to open the registry and then change the path to the explorer.exe.

    If you still need the system icons: Volume, Network Connections, Battery and Action Center, then don’t use Method1 because changing the registry path to explorer2.exe will disable them.

    0. Make sure to know the difference between a 64-bit explorer.exe and a 32-bit explorer.exe. You can’t use a 64-bit explorer.exe on a 32-bit system.
    1. Rename your new explorer.exe to explorer2.exe and copy it into the Windows directory: C:\Windows\
    2. Open the registry: Click on “Start” and enter regedit into the search field:

    Regedit.exe

    3. Right-click on regedit at the top and select “Run as administrator”
    4. Uncollapse the following path:HKEY_LOCAL_MACHINE>Software>Microsoft>Windows NT>CurrentVersion>Winlogon
    5. Change explorer.exe to explorer2.exe.
    6. End the process explorer.exe via the task manager and start a new process by entering “explorer2.exe”.


Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.
× -